CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

LOJA FRANCK ELETRO

LOJA FRANCK ELETRO

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

Italínea

Italínea
BREVE EM PETROLÂNDIA

PANIFICADORA DOCE PÃES

PANIFICADORA DOCE PÃES

CHURRASCARIA COME-SE BEM

CHURRASCARIA COME-SE BEM

SENHORINHA GÁS

SENHORINHA GÁS
O GÁS MAIS BARATO DA CIDADE

LOJA D' BRUM

LOJA D' BRUM

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES
CIRURGIÃO DENTISTA DR. FÁBIO LOPES

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

LANCHONETE PATRIOTA

LANCHONETE PATRIOTA

NEGUINHA SALGADOS

NEGUINHA SALGADOS

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

DR. ÉRICO HEBERT

DR. ÉRICO HEBERT

DR. JEFFERSON TÉCIO

DR. JEFFERSON TÉCIO

FRIGORÍFICO JB

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Temer diz a peemedebistas que Wagner Rossi conseguiu avião da JBS


O presidente Michel Temer disse a peemedebistas que pediu ao então ministro da Agricultura Wagner Rossi que conseguisse um avião em 2011 para que ele e sua esposa Marcela Temer pudessem viajar a lazer para Comandatuba, na Bahia.

Rossi, além de então ministro da Agricultura, era e ainda é um dos peemedebistas mais próximos de Temer. Segundo o blog de Andréia Sadi apurou, após a solicitação de Temer, Rossi pediu então à JBS o avião, que foi usado por Temer em janeiro de 2011. 

Oficialmente, o presidente primeiro disse que não havia feito a viagem. Ontem, ele recuou e confirmou o uso de avião particular, mas diz que não sabia de quem era. 

Foi Rossi quem apresentou Joesley Batista a Temer. Em 2011, Ricardo Saud, delator da JBS, trabalhava com Rossi no ministério, pasta em que a JBS tinha interesse. 

Rossi pediu demissão do governo Dilma em agosto daquele ano, alvejado por denúncias.

Entre elas, por ter viajado de carona em um jatinho da OuroFino, empresa do ramo agropecuário que recebeu autorizações do ministério para produzir medicamento contra a febre aftosa. Na época, o então ministro negou que a empresa tenha recebido "privilégios ou tratamento especial". 

O blog procurou o Palácio do Planalto com as informações, mas a assessoria informa que o governo não vai se pronunciar.

Via PE Notícias