CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

terça-feira, 13 de junho de 2017

Polícia Federal apreende 6,2 quilos de 'supermaconha' no aeroporto do Recife


A Polícia Federal em Pernambuco divulgou, na manhã desta terça-feira (13), a apreensão de 6,2 quilos de skank, também conhecida como ‘supermaconha’. Durante a operação policial, no Aeroporto Internacional do Recife/Gilberto Freyre, os agentes prenderam uma mulher de 25 anos, natural de Manaus (AM). Este ano, foi a terceira vez que a PF encontrou esse tipo de droga em bagagens de passageiros no terminal aeroportuário da capital pernambucana.

Segundo a nota enviada pela PF, a prisão aconteceu na madrugada de segunda-feira (12), durante fiscalização de rotina para reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no aeroporto. Ao colocar as malas da passageira no aparelho de Raio-X, os agentes identificaram objetos retangulares e suspeitaram que era droga.

A bagagem foi separada e os agentes convocaram a mulher para uma entrevista, em uma sala reservada. A suspeita entrou em contradição e não soube explicar os motivos da viagem para o Recife.

Quando a PF abriu a mala, encontrou seis pacotes e providenciou a análise do produto. O narcoteste confirmou que a substância era skank, uma maconha modificada geneticamente em laboratório, que tem alto teor entorpecente. A PF informa que a droga é proveniente da Colômbia.

A mulher, então, foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Segundo a corporação, ela possui antecedentes criminais e já tinha passagens anteriores pela polícia por envolvimento com transporte ilegal de maconha e cocaína. Chegou a ser presa em 2015, em Manaus, e liberada por causa da pequena quantidade traficada.

A jovem seguiu para a sede da PF, no Cais do Apolo, na área central do Recife. Caso seja condenada, poderá pegar penas que variam de cinco a 15 anos de reclusão.

Após a autuação, a mulher passou por exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML), na mesma região da cidade. Em seguida, foi levada para a audiência de custódia e encaminhada à Colônia Penal Feminina da capital, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste.

Além da droga, foram apreendidos cartões de embarque e um celular. No depoimento formal, ela informou que está desempregada e tem seis filhos. Disse ter recebido a droga preparada por uma mulher, em Manaus, com quem manteve contato pelas redes sociais. Ela receberia R$ 2 mil para fazer o transporte até o Recife.

Estatísticas: Esta é foi a quarta apreensão de drogas, em 2017, no aeroporto. Até agora foram cinco prisões: dois homens e três mulheres. A PF recolheu no período 15,7 quilos de cocaína e 43 quilos de skank.

Em 2016, foram realizadas 14 apreensões, com 14 pessoas presas. A PF retirou de circulação 26 quilos de haxixe, 13.7 quilos de cocaína, 6,1 quilos de metanfetamina e 25,1 quilos de ecstasy, totalizando 75.800 comprimidos. Em 2015, houve apenas uma apreensão de drogas no terminal.

Supermaconha: Devido os custos elevados da produção do skank, ele ficou conhecido como 'maconha de rico' ou 'supermaconha', pois seu preço é bem superior ao da droga comum. A ação no organismo é parecida com a da maconha.

Por causa da alta concentração de sua substância psicoativa, existe a possibilidade maior de o usuário ficar dependente. O princípio ativo, THC, pode chegar até 20%, enquanto na maconha normal não passa de 2,5%. (Via: G1 PE)