CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

SENHORINHA GÁS

SENHORINHA GÁS
O GÁS MAIS BARATO DA CIDADE

LOJA D' BRUM

LOJA D' BRUM

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES
CIRURGIÃO DENTISTA DR. FÁBIO LOPES

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

LANCHONETE PATRIOTA

LANCHONETE PATRIOTA

NEGUINHA SALGADOS

NEGUINHA SALGADOS

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

DR. ÉRICO HEBERT

DR. ÉRICO HEBERT

DR. JEFFERSON TÉCIO

DR. JEFFERSON TÉCIO

FRIGORÍFICO JB

terça-feira, 13 de junho de 2017

Polícia Federal apreende 6,2 quilos de 'supermaconha' no aeroporto do Recife


A Polícia Federal em Pernambuco divulgou, na manhã desta terça-feira (13), a apreensão de 6,2 quilos de skank, também conhecida como ‘supermaconha’. Durante a operação policial, no Aeroporto Internacional do Recife/Gilberto Freyre, os agentes prenderam uma mulher de 25 anos, natural de Manaus (AM). Este ano, foi a terceira vez que a PF encontrou esse tipo de droga em bagagens de passageiros no terminal aeroportuário da capital pernambucana.

Segundo a nota enviada pela PF, a prisão aconteceu na madrugada de segunda-feira (12), durante fiscalização de rotina para reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no aeroporto. Ao colocar as malas da passageira no aparelho de Raio-X, os agentes identificaram objetos retangulares e suspeitaram que era droga.

A bagagem foi separada e os agentes convocaram a mulher para uma entrevista, em uma sala reservada. A suspeita entrou em contradição e não soube explicar os motivos da viagem para o Recife.

Quando a PF abriu a mala, encontrou seis pacotes e providenciou a análise do produto. O narcoteste confirmou que a substância era skank, uma maconha modificada geneticamente em laboratório, que tem alto teor entorpecente. A PF informa que a droga é proveniente da Colômbia.

A mulher, então, foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Segundo a corporação, ela possui antecedentes criminais e já tinha passagens anteriores pela polícia por envolvimento com transporte ilegal de maconha e cocaína. Chegou a ser presa em 2015, em Manaus, e liberada por causa da pequena quantidade traficada.

A jovem seguiu para a sede da PF, no Cais do Apolo, na área central do Recife. Caso seja condenada, poderá pegar penas que variam de cinco a 15 anos de reclusão.

Após a autuação, a mulher passou por exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML), na mesma região da cidade. Em seguida, foi levada para a audiência de custódia e encaminhada à Colônia Penal Feminina da capital, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste.

Além da droga, foram apreendidos cartões de embarque e um celular. No depoimento formal, ela informou que está desempregada e tem seis filhos. Disse ter recebido a droga preparada por uma mulher, em Manaus, com quem manteve contato pelas redes sociais. Ela receberia R$ 2 mil para fazer o transporte até o Recife.

Estatísticas: Esta é foi a quarta apreensão de drogas, em 2017, no aeroporto. Até agora foram cinco prisões: dois homens e três mulheres. A PF recolheu no período 15,7 quilos de cocaína e 43 quilos de skank.

Em 2016, foram realizadas 14 apreensões, com 14 pessoas presas. A PF retirou de circulação 26 quilos de haxixe, 13.7 quilos de cocaína, 6,1 quilos de metanfetamina e 25,1 quilos de ecstasy, totalizando 75.800 comprimidos. Em 2015, houve apenas uma apreensão de drogas no terminal.

Supermaconha: Devido os custos elevados da produção do skank, ele ficou conhecido como 'maconha de rico' ou 'supermaconha', pois seu preço é bem superior ao da droga comum. A ação no organismo é parecida com a da maconha.

Por causa da alta concentração de sua substância psicoativa, existe a possibilidade maior de o usuário ficar dependente. O princípio ativo, THC, pode chegar até 20%, enquanto na maconha normal não passa de 2,5%. (Via: G1 PE)