CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

terça-feira, 13 de junho de 2017

Blog denuncia morte de Palmeiras Imperiais no Centro de Petrolândia


O blog Petrolândia Notícias vem na tarde desta terça-feira (13.06) por meio desta publicação fazer um alerta a população de Petrolândia, referente a arborização da cidade que vem sofrendo nos últimos tempos com descaso por falta de cuidados com algumas árvores e plantas no centro da cidade.

Na tarde dessa segunda-feira (12.06) registramos na Avenida dos Três Poderes e na Avenida Manoel Borba no canteiros centrais da cidade a morte de várias palmeiras imperiais (Roystonea Oleracea) mortas. Como se não bastasse a tempos atrás também morreu parte de algumas palmeiras imperiais que representavam em fila uns dos cartões postais da cidade na Orla Fluvial de Petrolândia.

Chamamos a atenção da administração pública municipal para que olhem com carinho essa triste situação que vem ocorrendo como um crime ambiental ou por omissão em nosso município.

Lembrando que a palmeira-imperial é um espécie de palmeira monóica, solitária e imponente, muito robusta e de grande porte, que alcança entre 30 e 40 metros de altura. As folhas tem de 3 a 5 metros de comprimento, e são pinadas, com folíolos arqueados e inseridos no mesmo plano, diferindo assim da palmeira-real-de-cuba (Roystonea regia), que apresenta folhas mais plumosas. Seu estipe (tronco) é de cor cinza claro, liso, uniformemente cilíndrico, apenas um pouco mais engrossado na base e com diâmetro entre 40 e 60 centímetros. A coroa é arredondada, com aproximadamente vinte folhas dispostas de forma ereta ou horizontalmente, o que permite visualizar o palmito recoberto pelas bainhas à distância, sendo esta mais uma das características que à diferencia da palmeira-real-de-cuba. Nesta última, as folhas mais velhas pendem sobre o palmito, dificultando a visualização do mesmo. A inflorescência surge na base do palmito, na primavera, em cachos longos, de até 1,5 metros de comprimento, com flores masculinas e femininas, de cor branca. Os frutos são drupas oblongas, de cor roxa a preta quando maduros. Eles se formam no verão e são atrativos para diversas aves silvestres, em especial psitacídeos, como papagaios, araras e caturritas.











Redação do Blog Petrolândia Notícias
Fotos: Alex Santos