CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

domingo, 19 de março de 2017

Petrolina sofre infestação de moscas após chuvas e com o calor do verão


A quantidade de moscas aumentou nas últimas semanas em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Com o calor e o período chuvoso, atenuados pela higienização incorreta dos ambientes, a reprodução das moscas torna-se favorecida. A infestação desses insetos gera incômodos e até riscos de transmissão de doenças.

As moscas estão por toda parte. “Gostaria que não tivesse, mas a gente precisa se alimentar e vem e não acha bom. Seria bom que fosse sanado o problema”, lamenta a empresária Marizete Fonseca.

O empresário Sérgio Ricardo se diz bastante incomodado com as moscas. “A gente tem que abanar e espantá-las para longe, mas incomoda bastante. O ambiente tem que ter um cuidado especial para espantá-las”.

O engenheiro Carlos Alberto Melro veio de Maceió, em Alagoas e está há três dias em Petrolina, mas já notou que existe uma infestação de moscas na cidade. “É impressionante a quantidade de moscas que tem por aqui. A gente tem que fugir delas e ver se consegue um ambiente mais tranquilo para poder fazer uma refeição mais tranquila”.

Além das moscas incomodarem muito, é um perigo se uma pousar nos alimentos. As moscas deixam saliva sobre eles que pode transmitir várias doenças como diarréia, micoses, conjuntivites, cólera e febre tifoide.

O biólogo Adalto Almeida Neto traz uma explicação para a proliferação desses insetos está no clima. “Uma associação direta entre a própria estação do ano em que vivemos, o verão, que ser caracteriza por temperaturas mais altas, e por uma umidade aumentada até mesmo pela própria presença das chuvas. Esses dois fatores ambientais já naturalmente propiciam uma proliferação exacerbada desse animal. Associada a essa relação climática, nós temos a grande quantidade de despejos de matéria orgânica inadequada. Uma higienização malfeita nas casas ou ambientes públicos. Tudo isso faz com que o animal tenha uma deposição e eclosão de suas larvas em um tempo menor.

Contudo, Adalto ressalta que é importante fazer a higienização correta dos ambientes. “A população precisa se conscientizar que a higienização da própria residência, do próprio ambiente de jardim, da casa e de banheiros de cozinho, preferencialmente, todos esses elementos, bem higienizados, vão favorecer a uma redução dessa proliferação das moscas”.

Em uma padaria de Petrolina a limpeza está sendo reforçada. “Tirando os lixos, sempre que o cliente sai, a gente já faz a limpeza das mesas para não acumular”, conta a supervisora Carmem Lúcia da Silva Araújo.

Alguns cuidados devem ser intensificados para evitar as moscas: Não deixar acumular lixo mais de quatro dias; lavar o vaso com água sanitária uma vez por semana; colocar redes contra insetos nas janelas; usar uma rede pra dormir, especialmente no caso dos bebês; evitar comer alimentos que tiveram contato com moscas.

Via G1